Feminicídio na juventude. A construção discursiva da notícia em manchetes de portais de Teresina

Autores

  • Lívia Fernanda Nery Silva Universidade Federal do Piauí
  • Samia de Brito Cardoso Vernieri Universidade Federal do Piauí

Resumo

Em 2015 foi sancionada a lei que tipifica o feminicídio no Brasil com objetivo de evidenciar a condição de gênero. A imprensa ocupa papel importante para divulgação mais ética e acertada desse tipo de crime, porém, observamos que os principais portais quando noticiam o feminicídio utilizam-se do sensacionalismo, focam em informações desnecessárias que acabam reforçando a discriminação. Assim, este trabalho tem como objetivo analisar os modos discursivos contidos nas matérias de três portais online de Teresina. Os referenciais usados foram Alves e Pintaguy (1985), Fairclough (1999), Charaudeau (2006). As primeiras conclusões indicam que as vítimas, na sua maioria jovens de 20 a 39 anos são representadas de forma estereotipadas acabam sendo culpabilizadas. Não foi diferente ao noticiarem o caso da jovem, de 25 anos, bacharelanda em Arquitetura assassinada pelo namorado, oficial do Exército, a tiros.  O presente artigo fez uma análise discursiva crítica (ACD) das principais manchetes sobre o caso.

Downloads

Publicado

2018-07-05

Edição

Seção

Artigos