Um estudo gramatical do poema O mundo, o Novo Mundo de Péricles Eugênio da Silva Ramos

Autores

  • João Francisco Pereira Nunes Junqueira Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho

Resumo

O presente artigo tem o objetivo de discutir o poema “O mundo, o novo mundo”, do poeta paulista Péricles Eugênio da Silva Ramos (1919-1992), a partir de algumas idéias propostas por Roman Jakobson em seu ensaio “Poesia da gramática e gramática da poesia”. Acreditamos que o ensaio de Jakobson possa nos dar um novo olhar sobre o poema, ampliando aspectos de leitura que muitas vezes permanecem adormecidos. Assim, esperamos levantar questões pertinentes aos estudos literários e poéticos, como o uso de estruturas gramaticais recorrentes com o fim de expressar imagens poéticas, e de estruturas gramaticais que trazem em seu bojo um pouco da forma de pensamento do poeta; também procuramos demonstrar como o ritmo, muitas vezes, para ser permanente, necessita de padrões gramaticais que possibilitem suas idas e voltas.

Biografia do Autor

João Francisco Pereira Nunes Junqueira, Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho

Doutorando em Estudos Literários na Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho” – UNESP/Araraquara (Bolsista CAPES). Professor do Cento Universitário Teresa D’Ávila – UNIFATEA/Lorena.

Downloads

Publicado

2018-03-30

Edição

Seção

Artigos