Análise do uso da estratégia na segunda guerra mundial

Autores

  • Adriana Bernadete Barros Carvalho Garcia Centro Universitário Teresa D´Ávila
  • Júlia Portela Centro Universitário Teresa D´Ávila
  • Paloma Galhardo Silvaston Centro Universitário Teresa D´Ávila
  • Viviane da Cruz Medeiros Centro Universitário Teresa D´Ávila

Resumo

Este artigo visa analisar as estratégias e técnicas utilizadas pelos nazistas na propaganda política de Hitler, a fim de conseguir convencer uma legião à seguir seus ideais. Em meio ao confuso cenário alemão, o poder de persuasão das palavras de Adolf Hitler e Joseph Goebbels repercutiram em toda a massa e com isso conseguiram angariar milhares de adeptos aos seus pensamentos Alemanha a fora. Hitler e Goebbels, com muita sintonia, disseminaram suas mensagens em um mesmo tom, buscando atrair a população com uma doutrina. O governo nazista, até o final, utilizou a propaganda de forma efetiva para incitar o povo alemão a apoiar sua guerra de conquistas. A propaganda foi um fator substancial para estimular aqueles que executavam os extermínios em massa de judeus e de outras vítimas do regime nazista e serviu para garantir que milhares de pessoas se tornassem espectadoras de tudo que estava acontecendo: da perseguição racial, do extermínio em grande quantidade, o que as tornava testemunhas de todo o massacre. Hitler utilizava os meios de comunicação para influenciar a opinião pública através da criação do Ministério do Reich, que visava garantir que a mensagem nazista fosse transmitida com sucesso. Ele utilizava a arte, música, teatro, filmes, estações de rádio e imprensa para remeter suas mensagens, sempre com discursos persuasivos, frases de forte impacto, preparando o povo para uma guerra, insistindo em uma perseguição, procurando gerar uma lealdade política. O triunfo da propaganda nazista era assegurado pela repetição e pela constância - os pilares do marketing e da propaganda - lançadas durante a campanha nazista por Joseph Goebbels. Foram utilizadas com igual êxito, as técnicas de controle da opinião pública, que unificaram todo o país e moldaram a propaganda moderna.

Biografia do Autor

Adriana Bernadete Barros Carvalho Garcia, Centro Universitário Teresa D´Ávila

Graduada em Publicidade e Propaganda - UNITAU, mestrado em Engenharia de Mecânica pela UNESP/Guaratinguetá e Professora e Coordenadora do MBA em Marketing no Centro Universitário Teresa D´Ávila.

Júlia Portela, Centro Universitário Teresa D´Ávila

Bacharela em Comunicação Social com ênfase em Publicidade e Propaganda na Universidade de Taubaté. Pós-Graduando no MBA em Marketing no Centro Universitário Teresa D´Ávila.

Paloma Galhardo Silvaston, Centro Universitário Teresa D´Ávila

Bacharela em Comunicação Social com ênfase em Publicidade e Propaganda na Faculdade Anhanguera de Taubaté. Graduando no MBA em Marketing no Centro Universitário Teresa D´Ávila.

Viviane da Cruz Medeiros, Centro Universitário Teresa D´Ávila

Tecnóloga em Processos Gerenciais – Fundação Hermínio Ometto / UNIARARAS. Graduando no MBA em Marketing no Centro Universitário Teresa D´Ávila.

Downloads

Publicado

2018-03-30

Edição

Seção

Artigos